Barreiras Culturais e Perceptuais ao Desenvolvimento da Criatividade

por Celso Falaschi


Criatividade pode ser desenvolvida por todas as pessoas, desde que pratiquem exercícios que as levem a possuir algumas, senão todas, características da pessoa criativa. Há que se considerar, porém, que existem algumas variáveis que influenciam negativamente esse processo. São as barreiras culturais, perceptuais e emocionais, conforme descrito por vários pesquisadores estrangeiros. Vamos agora apresentar as barreiras culturais e perceptuais:

Barreiras culturais

Bloqueios ao pensamento e ao comportamento criativo advêm, em primeiro lugar, da própria sociedade. Nesse sentido, pode-se especificar as principais barreiras que impedem a manifestação criativa:

1) - Orientação para a estabilidade A sociedade competitiva estimula os indivíduos a buscarem profissões e atividades que levem à estabilidade. Trata-se de uma marca de sociedades capitalistas, calcadas na acumulação de capital, na qual só merece destaque aquele que adquire um número crescente de bens de consumo, duráveis ou não.

2) - Punição ou exclusão daquele que diverge das normas sociais O indivíduo que diverge das normas da sociedade incomoda, pois quebra estruturas e isso pode ameaçar o “status quo”, os padrões estabelecidos, em todos os níveis.

3) - Valorização da lógica e descrédito da intuição A sociedade desvaloriza o que é subjetivo, não mensurável, como a fantasia, a imaginação e a intuição.

4) - Preferência pela tradição ao invés de apoio às mudanças Ideias novas em ambientes acadêmicos e de trabalho despertam, na maioria das vezes, reações adversas, muitas delas identificáveis em frases como as seguintes:


. Esta ideia é ridícula . Vai custar muito caro . Este problema não é nosso . É uma mudança muito radical . Não é prático para nossa situação . Os outros não vão gostar . Vamos voltar à realidade . Do jeito antigo sempre deu certo . Isso é coisa para se pensar no futuro . Se não der certo vamos parecer ridículos . Já funcionou para alguém conhecido?


5) - Medo do ridículo

Numa sociedade que valoriza a lógica, os padrões e a tradição, os estudantes criativos acabam tendo medo de expor suas novas ideias como medo de caírem no ridículo ou de serem diminuídos, execrados, pelos seus colegas que se apegam ao velho, com medo do novo.


6) - Expectativas quanto ao papel sexual “típico”

Algumas das características da pessoa criativa são a emoção e a intuição, secularmente associadas ao sexo feminino, reforçadas por indicativos de “homem não chora” e “intuição é uma característica da maternidade”.

Barreiras perceptuais

O indivíduo que se fecha às novas percepções, que não olha o mesmo fato, problema ou situação sob um diferente ponto de vista, não poderá ser nunca criativo. Assim, os pesquisadores chegaram à conclusão que as barreiras perceptuais que mais bloqueios provocam na criatividade são as seguintes: 1) – Dificuldade de perceber ou de ser sensível a problemas 2) – Busca de soluções rápidas e imediatas 3) – Pensamento rígido 4) – Inabilidade de ver problemas sob um novo enfoque 5) – Dificuldade em suspender julgamentos e críticas


Texto retirado da apostila do curso de pós graduação em Arteterapia do professor Celso Luiz Falaschi – Doutor em Psicologia – Ciência e Profissões (Criatividade)

Posts recentes

Ver tudo