OS VALORES HUMANOS UNIVERSAIS


Vivemos tempos críticos, violentos e desesperados; isso acontece devido ao fato de grande parte da humanidade ter esquecido seus valores e tê-los considerado até ultrapassados e desinteressantes. ” (MARTINELLI, 1996 - pg. 15).


Os Valores Humanos Universais são cinco: Verdade, Ação Correta, Paz, Amor e Não Violência. A falta de prática desses valores como base de ação criativa no dia a dia, oriunda uma série de conflitos pessoais e problemas sociais. O olhar de MARTINELLI nos faz perceber que sem a prática dos valores intrínsecos ao ser humano, trilhamos por escolhas de sofrimento e de dor, distorcendo as possibilidades de viver com qualidade e harmonia. Ela aponta que uma das causas dos conflitos que afligem a humanidade está na negação dos valores como fonte de inspiração para o desenvolvimento integral do potencial individual e consequentemente do potencial social. Outra das causas apontadas pela autora é a de que a falta de amor fraterno, a falta de autoconhecimento e o egoísmo fomentam a disputa e a necessidade de domínio, que dão origem às atrocidades sociais contemporâneas.

Para que haja vida, é preciso que se resgate o Valor da Verdade. A verdade é a essência de todas as coisas, a Energia Divina, aquilo que nunca perece diante daquilo que já está perecido e que deve impregnar toda a ação do espírito. “Ser verdadeiro é uma conquista da mente pela reta intenção de auto-realização”. (MARTINELLI, 1996 –P. 18).

Todo ser humano, de alguma maneira busca a si mesmo. É nos instantes de busca a si que o Valor Humano da Ação Correta surge, como uma ferramenta de aprimoramento do caráter. “Agir corretamente é ouvir a voz interna que contribui para o crescimento da criatividade e do talento em busca do autoconhecimento e do bem comum.” (MARTINELLI, 1996 – pg. 18).

Nos Valores Humanos o Amor é a energia que impulsionará a integração dos sentimentos opostos e conflitantes do Ser. Todos nós vivemos num universo dual de pares de opostos que ora incidem sobre o lado funcional, ora incide sobre o lado disfuncional. As polaridades podem ser mais bem compreendidas quando sentimos a luta entre o amor (energia que dignifica e preenche todos os espaços do vazio interior) contra o medo (constritor do espírito e inibidor da liberdade do Ser). “O amor é a energia de unidade e transformação”. (MARTINELLI, 1996 – pg. 18).

O Valor Humano da Paz elimina a desordem interior criada pelas emoções confusas e obsessivas, oriundas dos desejos e vontades impulsivas e silencia a mente. Provoca uma profunda sensação de bem estar consigo mesmo e um bem querer ao estar sozinho, por não estar solitário. O valor da Paz é importante para a saúde da mente, para que nasçam ideias frutificadas por esse silencio interior. Delas, os pensamentos tomam formas e os desejos dessas ideias tornam-se emoções nascidas do bem estar consigo mesmo. “A Paz pode ser a nossa maior aliada, mas também o nosso obstáculo mais difícil. Disciplinada, é o ponto de ligação entre a personalidade e o espírito. Desordenada, tende a criar pensamentos e dúvidas que devastam e corroem a paz interior.” (MARTINELLI, 1996 - pg. 19).

O Valor Humano da Não Violência é quando atingimos o grau mais espiritual de nós mesmos. É o resultado da prática das nossas próprias virtudes, das quais havíamos nos esquecido ou separado um dia. É o comportamento com virtudes, compartilhado com outros seres humanos, numa espécie de multiplicação das ações criativas do espírito pessoal e coletivo. É quando há a vitória do espírito sobre a inferioridade da natureza humana. (MARTINELLI, 1996 – pg. 19).


REFERÊNCIAS

MARTINELLI, Marilu. Aulas de transformação: o programa de educação em valores humanos. 8ª Ed. São Paulo: Fundação Peiropolis, 1996.


Por Arthur Fernando Drischel- Psicólogo, Arteterapeuta e Professor do NAPE

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo